Entre Linhas (Entrelinhas)

O gosto pelas linhas ressurgiu assim que me deparei com a oportunidade de fazer crochê novamente, e isso depois de tantos anos.Acho que dez...

O gosto pelas linhas ressurgiu assim que me deparei com a oportunidade de fazer crochê novamente, e isso depois de tantos anos.Acho que dez, quinze, nem sei.
E isso aconteceu quando me prontifiquei a ajudar nos preparativos dos vestidos que farão parte do desfile que a faculdade apresenta todos os anos na Fenearte.
Isso vale pontos pex (pontos de experiência), mas o que mais me motivou foi a alegria de vivenciar esses momentos únicos, junto com minhas colegas. Aprendendo e fazendo novas amizades.
Nem sequer passou pela minha cabeça que também seria uma das componentes da equipe que apresentaria o desfile, pois um dos alunos se inscreveu e depois desistiu.
 Foi ideia da professora Lívia que eu, Cláudia e Cibelle, assumíssemos a vaga, deixada por ele. Nem sequer sabia qual seria o tema do desfile: Meste Nuca. Um artesão pernambucano, de Tracunhaém, que sabia como ninguém, esculpir do barro, leões com jubas encaracoladas, daí a ideia do crochê em forma de caracol e tiras encaracoladas.

Já providenciei essas linhas para começar meu projeto com o crochê.

E pretendo fotografar e, se possível até filmar o desfile e nossos vestidos. Isso me "obriga" a procurar saber mais e mais a respeito de como funciona todas essas ferramentas virtuais que deixam os blogs das amigas tão incrivelmente belos.
Menina, olha, vou te dizer uma coisa: Não sabia que iria chegar até aqui, não! Estou surpresa comigo mesma!
Como é que eu, já achando que tinha "pendurado as chuteiras", de uma hora para outra, resolvi fazer vestibular, fazer  enen, me inscrever no prouni, ser chamada pela faculdade.
Achando pouco, me aventurar nesse blog, sem saber de nada de internet e ainda encontrar meninas lindas que, reservam um espaço no seu precioso tempo para ler.
Isso é muito chique! Uau! Não é para todo mundo, não!
                                Já fiz esse cachecolzinho para Émile.
Tanto estou aprendendo como ensinando, e isso tem me deixado muito feliz. Aprendi e tricô de braço e estou repassando o que aprendi para minhas coleguinhas.
Fico feliz em ver a felicidade estampada no rosto delas, por ter aprendido algo comigo. Isso é o máximo!
Infelizmente essa  foto ficou péssima. Não sei o que houve. Parece que a coleguinha tirou com o flash.
Ariane, eu, Cibelle e Verônica.

Eu gostaria muito de aprender computação gráfica, fotografia, desenho artístico, modelagem computadorizada e vários outros tipos de tudo quanto é arte.
Eu gostaria de poder ler muitos livros super interessantes que vejo na biblioteca da faculdade. Também gostaria de poder ler todos os  blogs das minhas amigas virtuais, que tenho encontrado por aqui.  
Também gosto de crochê, de tricô (só o básico do básico) e de costurar.


Eu precisaria ser três para dar conta de tudo que tenho em mente. Não é à toa que, tantas vezes fico frustrada, porque não consigo dar contar de nada.
A cabeça dá o comando, mas o corpo não obedece.
O tempo não dá trégua, por isso preciso ser seletiva e encontrar um modo de encontrar o equilíbrio.
A partir de amanhã, se Deus quiser, vou começar a ensaiar um jeito de ver como faço para postar um vídeo, mostrando os pontos básico do crochê.
Obrigada por ter reservado seu precioso tempo para ler esse post. Deus te abençoe. Te guarde. Te proteja em todos os teus caminhos. Um abraço!
....*......*......




Você vai amar ler esses também:

0 comentários

Gostou? Compartilhe !!!

Pesquisar este blog