Unhas Roídas, Ninguém Merece

Não há produção de moda que resista à unhas roídas e se você prestar atenção por aí, vai encontrar muitas pessoas que sofrem com esse terrív...

Não há produção de moda que resista à unhas roídas e se você prestar atenção por aí, vai encontrar muitas pessoas que sofrem com esse terrível hábito, conhecido pelo nome técnico de ONICOFAGIA.
Começa logo na infância, por diversos e desconhecidos motivos. Continua na adolescência, sendo que boa parte dos roedores de unhas, terror dos terrores, não conseguem se livrar desse mal em sua fase adulta.
Existem alguns tratamentos paliativos, mas todos com uma série de inconveniências, alguns deles são:


  1.  Pintar as unhas toda a semana, de preferência com cores fortes, para servir de lembrete. Porém, para uma roedora compulsiva, isso não chega a ser lá uma "barreira", porque o que ela quer mesmo é roer as unhas, pouco importando se elas estão pintadas ou não.
  2. Usar um esmalte da Avon, bem "amargoso", para desestimular a ação, porém, tenho cá minhas dúvidas, quanto à reação no organismo ao produto químico empregado na fórmula, por mais que a marca seja procedente. Sem falar que não é só suas unhas que ficarão horrivelmente amargas e sim tudo o mais que você tocar.
  3. Unhas postiças. O efeito visual fica incrível! As técnicas para alongamento das unhas estão cada vez mais modernas e sofisticadas, e quem não tiver um olhar mais atento, nunca dirá que ali, por trás daquelas belas e longas unhas, estão na verdade,unhas para lá de roídas.
  4.  Pode ser uma boa saída como tentativa de parar com a roeção, porém não recomendo que se tenha as unhas postiças por hábito, já que, antes de aplicá-las, as unhas originais, já traumatizadas, passam por um processo de desgaste do esmalte natural, o que fará com que se tornem mais frágeis do que já estão. 
Há quem recomende as mais diversas técnicas de terapias, desde as alternativas até a psicológica e até mesmo psiquiátrica, levando a tratamentos com remédios antidepressivos e tudo o mais.

As causas para a roeção de unhas tem origens diversas, sendo que a maioria das explicações que vi  em minhas pesquisas pela web, apontam para a automutilação, como forma de repressão a uma agressividade latente, reprimida.

Excluindo o tratamento psicoterápico e os antidepressivos, já tentei todas essas alternativas acima.
Não me acho agressiva e sim ansiosa, mas isso não sou eu quem tem que dizer e sim as pessoas que convivem comigo.
Às vezes, meus filhos dizem que tenho "rompantes agressivos" e que os deixa surpresos e apreensivos, porque olhando para mim, não se nota algo assim.

No momento, estou numa fase mais moderada. Preciso me conter, pois quando se trabalha como costureira e artesã, se expõe muito as mãos e não existe nada mais ridículo e horripilante do que a tal das unhas roídas. Motivo pelo qual, me poupei de colocar fotos com unhas roídas aqui. Eu até tenho fotos com minhas próprias unhas roídas, mas... ninguém merece!

Tirei as fotos, para, num momento de compulsão, me lembrar o quão terrivelmente feias e horripilantes elas são.

Fiquem na Paz de Jesus. Essa Paz que excede todo o entendimento.
 E para finalizar um versículo da Bíblia. I Pedro, capítulo 5 e versículo 7, que diz:


 Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.

Um forte e fraterno abraço!


Você vai amar ler esses também:

0 comentários

Gostou? Compartilhe !!!

Pesquisar este blog